Notícias


Cresce o número de mulheres em cargos de liderança

Cada vez mais mulheres vêm ocupando cargos importantes no mercado de trabalho, tornando-se indispensáveis para a atuação das atividades dentro de uma empresa. De acordo com pesquisa realizada em 2017 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a participação de mulheres em cargos representativos nas organizações vem crescendo nos últimos tempos. Os estudos revelam que, atualmente no Brasil, as mulheres representam 43,8% dos trabalhadores, sendo 37% em cargos de gerência e direção.
 
Dayane Priscila Campos é um exemplo de que oportunidades são dadas a quem almeja. Ela começou a trabalhar em 2007 na rede McDonald’s exercendo a função de Atendente. Após três anos no cargo, surgiu a oportunidade de ser Treinadora. Com já dois anos na função, se tornou Coordenadora. Depois de um ano e meio treinando e orientando outros colaboradores, conseguiu o cargo de Gerente de Plantão e avançou para o cargo de Gerente Assistente. Mostrando compromisso e responsabilidade, hoje chegou ao cargo de Gerente de Negócio da rede em Goiânia.
 
“Entrei sem pretensão nenhuma, para dizer a verdade queria juntar um dinheirinho para fazer a festa de aniversário da minha filha. Mas, com o passar dos dias, me senti valorizada e vi que tinha oportunidade de crescer dentro da rede. Então, agarrei e aproveitei todas as chances que tive. E hoje sou muito feliz aqui”, comemorou Dayane.
 
Dentro da empresa, as mulheres têm acesso a treinamentos que incentivam atitudes para traçar novas posições no mercado, ganhando cada vez mais o seu espaço. Atualmente, dentro dos restaurantes mais de 50% dos cargos de gerência são ocupados por mulheres. O tempo médio de companhia dessas mulheres é de 11 anos e 2 meses e a idade média gira em torno dos 30 anos.
 
Para Marcelo Nóbrega, Diretor de Recursos Humanos da Arcos Dourados, operadora da marca McDonald´s no Brasil, o reconhecimento só reforça a importância de práticas e iniciativas que permitam com que as mulheres tenham cada vez mais espaço em posições de liderança. “Buscamos dar representatividade às mulheres, que são maioria na população brasileira e que muitas vezes são as únicas responsáveis financeiras por suas famílias, além de ser o ponto focal dos filhos. Promover condições e oportunidades para que cada vez mais elas tenham espaço nos principais cargos de liderança é o nosso desafio diário e, acredito que deva ser o de todas as empresas que se preocupam com relações igualitárias”, finaliza Nóbrega.