Notícias


Diminuição dos recursos pode afetar micro empresas

A diminuição de recursos que serão repassados ao Sistema S também deve atingir as micro empresas representadas pelo Serviço Nacional de Apoio as Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). A avaliação é do presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae, Ubiratan da Silva Lopes. Ele esteve nesta terça-feira (29), na sede do jornal O Hoje.  

 A diminuição de recursos que serão repassados ao Sistema S também deve atingir as micro empresas representadas pelo Serviço Nacional de Apoio as Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). A avaliação é do presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae, Ubiratan da Silva Lopes. Ele esteve nesta terça-feira (29), na sede do jornal O Hoje.  

 

Antes de assumir o cargo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou cortes nas verbas repassadas a instituições como Senai, Senac e Sebrae. A redução no orçamento dessas entidades ainda não começou, mas entidades que compõem o setor defendem que essa redução pode fragilizar a estrutura e prejudicar a capacitação técnica damão de obra.

 

Mesmo o Sebrae recebendo apenas 0,6% dos recursos do SistemaS, Ubiratan acredita que esse impacto deve causar uma redução proporcional nos atendimentos oferecidos pela entidade à população. “Temos metas ousadas de atendimentos para este ano,e essa possibilidade de redução vai atrapalhar alcançarmos esses resultados”, defende.

 

Segundo ele, o Sebrae atendeu no ano passado mais de 112 bmil empresas com mais de 218 mil horasde consultoria prestadas a esse público. “A Receita Federal calcula que só neste ano serão 530 mil micro empresas no país e, como só maiores empregadores no Brasil, precisamos contar com um governo que nos apoie”, disse.

 

O presidente do Conselho Deliberativo afirma que o Sebrae tem trabalhado em conjunto com outras entidades do Sistema S para pressionar e mostrar o quão danosa será essa medida para a geração de emprego e distribuição de renda no país. (Rhudy Crysthian)

 

Antes de assumir o cargo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou cortes nas verbas repassadas a instituições como Senai, Senac e Sebrae. A redução no orçamento dessas entidades ainda não começou, mas entidades que compõem o setor defendem que essa redução pode fragilizar a estrutura e prejudicar a capacitação técnica damão de obra.

 

Mesmo o Sebrae recebendo apenas 0,6% dos recursos do SistemaS, Ubiratan acredita que esse impacto deve causar uma redução proporcional nos atendimentos oferecidos pela entidade à população. “Temos metas ousadas de atendimentos para este ano,e essa possibilidade de redução vai atrapalhar alcançarmos esses resultados”, defende.

 

Segundo ele, o Sebrae atendeu no ano passado mais de 112 bmil empresas com mais de 218 mil horasde consultoria prestadas a esse público. “A Receita Federal calcula que só neste ano serão 530 mil micro empresas no país e, como só maiores empregadores no Brasil, precisamos contar com um governo que nos apoie”, disse.

 

O presidente do Conselho Deliberativo afirma que o Sebrae tem trabalhado em conjunto com outras entidades do Sistema S para pressionar e mostrar o quão danosa será essa medida para a geração de emprego e distribuição de renda no país. (Rhudy Crysthian)

 Fonte: Jornal O HOje